Como identificar se o smartphone Android está infectado

23/04/2014

A indústria de software malicioso para dispositivos móveis está se desenvolvendo com grande rapidez, tanto no plano tecnológico, como no estrutural. Podemos afirmar que o cibercriminoso moderno não é mais um delinquente solitário, mas sim uma parte de um sério processo de negócios. Em 2013, a Kaspersky Lab detectou 143.211 novas modificações de programas maliciosos para dispositivos móveis. Mas, como podemos saber se nosso dispositivo está infectado? E o que se podemos fazer para mantê-lo protegido?

Como identificar se o smartphone Android está infectado

O Android ainda é o principal alvo dos ataques maliciosos. 98,05% dos programas maliciosos para dispositivos móveis descobertos em 2013 são dirigidos a essa plataforma, o que é uma prova de sua popularidade, e vulnerabilidade de sua arquitetura.

A Kaspersky Lab elaborou uma lista com os sete sintomas mais comuns que indicam que algo malicioso está ocorrendo em nosso dispositivo Android:

(1) Anúncios não desejados: se seu smartphone ou tablet está atormentado por pop-ups e outros tipos de anúncios intrusos, ou durante a navegação ocorrem redirecionamentos não esperados – independentemente do fato de que pode ser considerado de aplicações normais - é provável que você tenha instalado um adware.

(2) Picos de dados: Alguns arquivos maliciosos incrementam o uso de dados para fazer com que o dispositivo se conecte repetidamente a um website, clique em anúncios, faça download de arquivos grandes e envie mensagens.

(3) Faturas elevadas sem motivo: Frequentemente, o malware faz com que um smartphone ou tablet infectado ligue ou envie SMS para números premium, também conhecidos como “0900” ou números curtos de 5 dígitos, elevando o preço da fatura telefônica.

(4) Aplicativos não solicitados: Alguns Apps maliciosos compram ou baixam aplicações do Google Play ou outras lojas não oficiais. Se em seu dispositivo aparecer aplicativos que você não fez o download, suspeite.

(5) Apps que utilizam funções desnecessárias: Alguns programas maliciosos se disfarçam de aplicativos legítimos. Se solicitarem permissões ou outras funções que não são necessárias para seu uso, é provável que tenha fins maliciosos.

(6) Atividade estranha em contas online: Este problema não afeta somente os PCs. O malware móvel é muito complexo e pode roubar senhas, credenciais de acesso e dados guardados no dispositivo.

(7) Aplicações que exigem dinheiro para desbloquear o dispositivo: Nenhuma empresa legitima que opera dentro da lei bloqueia o dispositivo e pede dinheiro para desbloqueá-lo.

Especialistas da Kaspersky Lab afirmam que a melhor maneira de manter nosso dispositivo protegido é instalando uma boa proteção anti-malware. Contudo, existem algumas medidas adicionais para evitar que o nosso smartphone ou tablet Android seja infectado:

(1) Não praticar o ‘jailbreak’ no dispositivo.

(2) Configure um PIN ou uma senha para desbloquear a tela.

(3) Baixe aplicativos que procedam de fontes de confiança – prefira os da loja Oficial.

(4) Não utilizar redes Wi-Fi públicas na hora de realizar qualquer tipo de transação.

(5) Revisar as permissões que solicitam os aplicativos.

(6) Armazenar somente os dados confidenciais que sejam necessários no dispositivo

(7) Instalar uma função de controle parental para evitar que as crianças comprem aplicativos ou conteúdo multimídia sem a permissão de adultos.

Como identificar se o smartphone Android está infectado

Fonte: Correio Do Estado ES p. 1;6;7

Recomendamos:

Kaspersky Internet Security for Android

Tel: (21) 2481-4604 / (21) 3518-9047

Copyright © 2016 - 2017 Serial Security.
Todos os direitos reservados. Segurança digital, corporativa e doméstica